Produção de Leite em Pastagem de Capim Elefante Paraíso (Pennisetum hybridum) Sob Níveis de Concentrado, Durante o Verão, Em Sistema de Manejo Rotativo1. 

MILK PRODUCTION OF CROSSBRED HOLSTEIN X ZEBU COWS GRAZING A ELEPHANT GRASS PARAÍSO (Pennisetum hybridum) PASTURE SUPPLEMENTED WITH THREE LEVELS OF CONCENTRATE

1Trabalho financiado pela Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG), SERRANA - Nutrição Animal e MATSUDA MINAS – Sementes e Nutrição Animal
. Herbert VILELA
* Edmundo BENEDETTI
* * Fabiano Alvim BARBOSA
* * * Engenheiro Agrônomo, Doutor, Professor Visitante da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Uberlândia e Pesquisador da Matsuda Genética.
** Médico Veterinário, Doutor e Professor Titular da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Uberlândia.
*** Médico Veterinário, Doutorando em Nutrição de Ruminantes -UFMG

RESUMO

Este trabalho foi conduzido no período de novembro/02 a fevereiro/03, com o objetivo de avaliar a produção de leite em pastagem de capim elefante hexaploide cv. Paraíso (Pennisetum hybridum), em sistema de manejo rotacionado, sob três ofertas de caroço de algodão, 0, 1,5 e 3,0kg/vaca pôr dia. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado sendo que a produção de leite, corrigida a 4% de gordura, foi analisada pôr covariância. A produção diária de leite foi influenciada pêlos níveis de caroço de algodão usados (P > 0,05). Os valores médios de produção de leite observados foram 15, 6, 18,4 e 20,8kg/ vaca pôr dia, respectivamente para os tratamentos com zero, 1,5 e 3 kg de caroço de algodão. As amostras de forragens obtidas pôr ocasião da entrada e saída dos animais, variaram (P<0,05) entre si, nos componentes PB% (19,8% a 17,2), FDN (73% a 66,5) e FDA (43% a 46%), durante o período do trabalho, como efeito do pastejo. A pastagem com capim elefante hexaploide Paraíso possibilitou uma produção de leite de 15,6kg/vaca pôr dia, suplementada com macro e micro minerais. ABSTRACT-This research was conducted from November 2002 to February 2003 to evaluate the effect of three levels of cottonseed (0, 1.5 and 3.0 kg/cow per day) on milk yield of crossbred Holstein x Zebu cows rotationally grazing elephant grass pasture, hexaploid cv. Paraíso (Pennisetum hybridum). A completely randomized design was used and milk yield, corrected to 4% fat, was analyzed by covariance. The daily production of milk was influenced by the levels of cottonseed fed (P>0.05). The average levels of milk production observed were 15.6, 18.4 and 20.8 kg/cow per day, respectively, for the tree levels of cottonseed fed. During grazing, herbage availability was 4,044 kg/ha green forage dry matter in paddocks. Samples of forages were obtained when the animals entered and left the pasture. They varied (P<0.05) in CP (19.8 to 7,2%), NDF (73 to 66.5%) and ADF (43 to 46%) during the research period as an effect of pasture. Milk production was 15.6 kg/cow per day on the elephant grass hexaploide cv. Paraíso pasture supplemented only with macro and micro minerals. Key words: cottonseed supplement, elephant grass pasture, milk production, rotational grazing.

INTRODUÇÃO

A concorrência dos produtos lácteos do Mercosul e União Européia tem provocado mudanças no setor leiteiro nacional nesta década vigente. Está havendo uma modernização do setor, passando para um modelo mais competitivo e sustentável em relação ao tradicional e extrativista, hoje em fase de extinção. Contudo, há poucos resultados de pesquisa sobre os componentes do sistema de produção e quando existentes são insuficientes para se propor uma intensificação do sistema de produção de leite e principalmente, a produção a pasto (AROEIRA,2001). As gramíneas forrageiras tropicais, satisfatoriamente manejadas e adequadamente monitoradas em relação ao nível de fertilidade do solo, suportam altas taxas de lotação durante a estação das chuvas e são capazes de produzirem cerca de 10 a 15kg de leite pôr vaca pôr dia em regime exclusivo de pastagens (CÓSER et al., 1999; DERESZ et al., 1994; 1998). Contudo, CÓSER et al. (2002) mencionam que as forrageiras tropicais limitam o potencial genético do animal, até o nível de 15kg de leite pôr vaca pôr dia. Podendo estar relacionado ao alto conteúdo de parede celular, com conseqüente baixa digestibilidade da matéria seca e baixo consumo de forragem (VAN SOEST, 1965). Entre as forrageiras tropicais, destaca-se o capim elefante triploide (Pennisetum purpureum Schum) e o capim elefante hexaploide Paraíso (Pennisetum hybridum) que são as forrageiras que apresentam alto potencial de produção de matéria seca pôr área, desde que se promovam meios suficientes para tal fim (DERESZ, 2001 , VILELA et al., 2001). Trabalho de pesquisa (MARTINS et al. 1992) estudando níveis de adubação de manutenção de fósforo (20, 40, 60 e 80 kg/ha de P2O5) em capim elefante cv. Napier foi desenvolvido tanto para ganho de peso de novilhas, quanto para produção de leite em vacas mestiças Holandês x Zebu. Eles não observaram diferença no ganho em peso como também na produção de leite, nos tratamentos com diferentes níveis de fósforo. Ainda, MARTINS et al. (1994) estudaram o efeito de quatro níveis de nitrogênio (200, 300, 400 e 500 kg/ha de N) em pastagem de capim elefante Napier sobre a produção de leite em vacas mestiças Holandês x Zebu e obtiveram produções que vaiaram de 11.701 a 13.802kg/ha/ano de leite, respectivamente, no menor e maior nível de nitrogênio. DERESZ et al. (2001) não encontraram diferenças significativas na produção de leite, dentro dos períodos, de vacas mestiças Holandês x Zebu em pastagem de capim elefante cv. Napier, durante o período de seca e de verão em vacas sem suplementação e suplementadas (1 kg de farelo de soja) com concentrado aos 60, 120 e 305 dias de lactação. Trabalhos de pesquisa em relação ao pastejo rotativo do capim elefante tem sido desenvolvidos. COSER et al. (1999) conduziram um trabalho com o objetivo de determinar qual seria o melhor período de ocupação para o capim elefante c.v. Napier, com 30 dias de descanso. Observaram produções de 11,3, 11,4 e 11,3 kg/dia/vaca durante o período de verão respectivamente, nos períodos de 1, 3 e 5 dias de ocupação. Não houve, portanto, diferenças nas produções de leite. COSER et al. (1998) estudaram duas alturas de resíduos pós-pastejo em pastagem de capim elefante de 70 a 100cm e 100 a 130cm de altura de corte, respectivamente, durante o período de verão. As produções de leite foram de 11,2 e 10,9kg/dia/vaca, respectivamente, para os tratamentos de menor e maior altura de resíduo. DERESZ (1994) estudaram as lotações de 5, 6 e 7 vacas/ha nos meses de dezembro a maio em pastagem de capim elefante cv. Napier. O autor recomenda a lotação de 6 vacas pôr hectare, com uma produção de 12,0kg/dia pôr vaca, com uma duração de pastejo de três dias e com período de descanso de 30 dias, para não comprometer a persistência da gramínea. Ainda DERESZ & MATTOS (1996) estudaram a produção de leite de vacas mestiças Holandês x Zebu, durante o verão, com variações nos períodos de descanso da pastagem de 30, 37,5 e 45dias, sendo o período de 30 dias com e sem suplemento o que trouxe melhor resultado. As produções obtidas foram de 14, 6, 13,9 e 13,4kg/dia/vaca nos tratamentos com suplemento (2 kg de farelo de soja/dia). A redução na produção nos tratamentos com suplemento nos períodos de 30 para 45 dias foi atribuída à qualidade da forragem, em especial a digestibilidade da matéria seca e teor de proteína bruta. As produções de leite no período de 30 dias de descanso foram de 13,5 e 14,6kg/dia/vaca respectivamente, com e sem concentrado. Os autores acreditam ser inviável financeiramente tal suplementação. Os trabalhos com o híbrido hexaploide capim elefante Paraíso (Pennisetum hybridum) em relação à pastejo, ainda não estão disponíveis na literatura. Contudo trabalhos envolvendo produção de matéria seca, freqüência e alturas de cortes com seus respectivos valores nutritivos mostram o seu potencial (50 t MS/ha em quatro cortes, com 19% de PB, 1,348Mcal/kgMS de energia líquida para mantença e 1,376 Mcal/kgMS de energia líquida para produção de leite), durante o verão, VILELA et al., 2001 e 2002). Entretanto, ainda não há informações disponíveis sobre qual seria a melhor estratégia de suplementação com concentrado e sem concentrado para se conhecer o potencial de produção de leite, durante o ano, para este germoplasma sob pastejo. Portanto, o objetivo do trabalho foi verificar o efeito da suplementação de uma pastagem de capim elefante Paraíso, com três níveis de caroço de algodão, sobre a produção de leite de vacas mestiças, durante o período de verão, em sistema de manejo rotativo e adubações de manutenção com fósforo, potássio e nitrogênio.

MATERIAL E MÉTODOS

O trabalho foi conduzido na Fazenda Experimental do Glória, em Uberlândia-MG, da Universidade Federal de Uberlândia, que se estendeu de 14/11/02 a 12/02/03. Amostras de solo, coletadas na camada de 0 a 20 cm , apresentaram a seguinte composição química, respectivamente: pH em água, 5,3; Al 3+ trocável, 1,4 cmolc/dcm3 ; H++ Al3+, 8,7cmolc/dcm3; Ca2+ trocável, 6,7cmolc/dm3; Mg2+trocável, 1,4cmolc /dm3 ; K+disponível, 039cmolc/dm3; P disponível, 10,7mg/dm3 . Os tratamentos experimentais, arranjados segundo o delineamento inteiramente casualizados, constituíram de três níveis de oferta de caroço de, ou algodão seja 0, 1,5 e 3kg pôr animal, pôr dia. Os animais recebiam a suplementação com caroço de algodão pôr ocasião da ordenha, uma vez ao dia, e ainda suplemento mineral á vontade. A área total foi 5,94 hectares que foi dividida em 27 piquetes com 0,22 ha cada . Portanto, cada repetição tinha uma área de 1,98 ha o que correspondeu a nove piquetes. Cada grupo de seis animais diariamente e aleatoriamente foi conduzido a nove piquetes da respectiva repetição. O período médio de ocupação de cada piquete, em cada repetição foi de três dias e o de descanso foi de oito dias. A lotação média foi de 3,03 cabeças pôr hectare. A altura média da forragem á entrada dos animais foi de 1,20m e da saída foi de 0,60m. A adubação de manutenção foi em cobertura e em outubro, com 950kg/ha de sulfato de amônio, superfosfato simples e cloreto de potássio misturados na proporção de 5:2:1 respectivamente, (MARTINS et al, 1994). Selecionaram-se 18 vacas mestiças H x Z de segunda a quinta crias, com período de lactação de 116 ± 10 dias, peso vivo de 499±20kg , cuja média diária de produção de leite era de 15,0 ± 2kg. As vacas selecionadas foram submetidas a um período de adaptação de duas semanas, em pastagem de capim elefante (Pennisetum hybridum), com a finalidade de adaptá-las a nova dieta, inclusive ao concentrado caroço de algodão, com 92,0% de MS, 13,7% de PB, 2,43 Mcal/kg de energia líquida para mantença e 2,20 Mcal/kg de energia líquida para produção de leite), (VALADARES et al, 2001). As amostras de leite foram obtidas de cada vaca, semanalmente, nas ordenhas da manhã e da tarde, a partir da segunda semana do início do período de adaptação. Estas amostras foram destinadas à análise do teor de gordura, a fim de corrigir a produção de leite a 4% de gordura. Na pastagem as amostragens foram realizadas a cada três dias, antes e após a entrada dos animais nos piquetes. Determinava-se também a altura da planta e a forragem contida em um quadrado lançado pôr três vezes ao acaso na área, com corte a 0,40m do solo. Nas amostras pôr piquete, após secagem em estufa a 65º C e moagem, foram determinados os teores de matéria seca (MS), a disponibilidade de MSFV, proteína bruta (ASSOCIATION OF OFFICIAL ANALYTICAL CHEMISTS-AOAC, 1980), fibra detergente neutro (FDN), fibra detergente ácido (FDA), (VAN SOEST, 1965). A produção diária de leite pôr vaca foi analisada pôr covariância, segundo o modelo estatístico: Y ij = m + Oi + b(Xi — X) + Vi em que: Y ij =produção da j a da vaca sujeita i o tratamento; i = 1, 2 e 3; m = média geral; O i efeito do primeiro tratamento; b = coeficiente de regressão linear entre produção inicial e final de leite; sob o tratamento i a; X = média das produções iniciais; X ij = produção inicial da j ª vaca ; sob i ª tratamento e V ij = efeito da j a vaca sob a ia tratamento; sendo V i » NID. A comparação das médias foi feita pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade.

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Os períodos de descanso e de ocupação dos piquetes foram os mesmos recomendados pôr CÓSER et al (1999) e DERESZ & MATTOS (1996) sendo estes os que proporcionaram melhores condições para o desempenho da forrageira, segundo estes pesquisadores. As alturas de corte da forragem nas oportunidades de entrada e saída dos animais também parecem não terem interferidos nos resultados obtidos, pôr serem os mesmos já testados pôr outros pesquisadores (CÓSER et al, 1998). As disponibilidades médias máxima e mínima de forragem (MSFV) nos piquetes, a entrada dos animais foi de 5.150kg/ha e de 5.090kg/ha, respectivamente. Os resíduos médios máximo e mínimo de forragem a saída dos animais foi de 2.128 a 2.060/ha de MSFV, entre os piquetes, respectivamente. Estes resíduos não variaram (P > 0,05) dentro do período estudado, que comprova o esperado, pelo procedimento de manejo dos animais, aleatório aos tratamentos. Resultados também obtidos pôr CÓSER et al.(1999) e DERESZ(2001). O teor de proteína bruta variou de 19,8 a 17,2% (P < 0,05), como efeito do pastejo na qualidade da forragem amostrada antes e após pastejo. As amostras de forragens obtidas pôr ocasião da entrada e saída dos animais, também variaram (P < 0,05) entre si em outros componentes como FDN (66,5% e 45,8) e FDA (43,6% e 46,5%), durante o período do trabalho. Verificam-se menores valores de proteína bruta e FDN; maior de FDA na forragem residual de MSFV . A menor qualidade de forragem residual reflete a oportunidade de seleção no pastejo t’ MANNTJE & EBERSHON, 1980). Os valores médios de PB, FDN e FDA encontrados estão próximos aos obtidos pôr VILELA et al. (2001). Pode-se observar pêlo resultado alcançado e pela literatura consultada, que o manejo da pastagem permitiu que se obtivesse produções de leite(kg/vaca/dia) satisfatórias. Foi possível verificar que a pastagem de capim elefante Paraíso sem suplemento atende as exigências de mantença das vacas e ainda permite uma produção de 15,6kg de leite. A produção diária de leite foi influenciada pêlos níveis de caroço de algodão usados (P < 0,05), (Tabela 3). Os valores médios de produção de leite observados foram 15,6, 18,4 e 20,8kg/ vaca pôr dia, respectivamente para os tratamentos com 0, 1,5 e 3kg de caroço de algodão.

Tabela 3- Produção de leite pôr vaca pôr dia sob os tratamentos com caroço de algodão.

TRATAMENTOS
(Kg de caroço de algodão pôr vaca pôr dia)

PRODUÇÃO MÈDIA DE LEITE
(Kg pôr vaca pôr dia)
0,0kg de caroço de algodão 15,6C
1,5kg de caroço de algodão 18,4B
3,0kg de caroço de algodão 20.8A

Médias seguidas pôr letras maiúsculas diferentes, dentro da coluna, diferem entre si pelo teste de Tukey (A > B > C, P < 0,05). A produção média diária de leite observada (15,6kg/vaca) no tratamento sem suplemento está próxima a observada pôr COSER et al. (1999, 1998) e DERESZ et al.( 2001 , 1994) em condições com algumas similaridades. Este resultado contribui com a hipótese de que as pastagens de clima tropical limitam o potencial de produção ( > 15 kg de leite pôr vaca pôr dia) de vacas em lactação pela baixa digestibilidade e menor consumo da forragem ( CÓSER et al.2002, VAN SOEST,1965). A produção média de 18,4kg/vaca /dia com suplementação de 1,5kg/vaca/dia com caroço de algodão é maior do que a obtida com a suplementação de 2,0kg/vaca /dia com farelo de soja, com o capim elefante triploide (DEREZ & MATTOS, 1996), sugerindo não ser o concentrado o fator limitante para se obter maior produção de leite a pasto, durante o período de verão. Não foi encontrado na literatura brasileira produções de leite acima de 20kg/dia de vacas em regime de pasto suplementado com nível de concentrado próximo ao usado. As quantidades de energia líquida para produção de leite oferecidas pôr 1,5 e 3,0 quilos de caroço de algodão foram de 2,2 e 4,4Mcal/kg, mostraram ser suficientes para as produções alcançadas nestes tratamentos, mesmo porque não houve alteração no peso vivo dos animais durante o período. Financeiramente, parece viável produzir mais 5,2kg/vaca/dia com o uso de 3,0kg de caroço de algodão, aos custos e preços vigentes.

CONCLUSÕES

A pastagem de capim elefante hexaploide Paraíso quando devidamente manejada é capaz de produzir 15,6kg de leite/vaca/pôr dia, sem uso de concentrado protéico-energético, durante os meses de novembro a fevereiro. A suplementação com três quilos de caroço de algodão foi suficiente ara se obter uma produção de 20,8kg de leite/vaca/dia, durante o mesmo período.

REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

AROEIRA, L. J. M. Sistemas alternativos de produção de leite a pasto sob manejo intensivo.IN: Relatório Técnico da EMBRAPA Gado de Leite.1999-2000. Alvim, M. J., PASSOS, L. P., BOTREL, M.A.(ed.) Embrapa Gado de Leite, Juiz de Fora, MG, 228p. 2001.

ASSOCIAÇÃO OF OFICIAL ANALYTICAL CHEMISTS – AOAC. 1980. Official methods of analyses. 13 ed. Washington, D. C. 1.018p.

CÓSER, A C.; MARTINS, C. E.; CARDOSO, F. P. N. Produção de leite em pastagem de capim elefante submetida a duas alturas de resíduo pós- pastejo. IN: REUNIÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA,35.,1998, Botucatu. Anais...Botucatu: Soc. Bras. Zootec.,1998. v. 2, p.501-503.

CÓSER, A.C.; MARTINS, C. E.; FONSECA, D..M.; SALGADO, L. T.; ALVIM, M.J.;TEIXEIRA, F.V. Efeito de diferentes períodos de ocupação da pastagem de capim elefante sobre a produção de leite. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília,(DF), v.34, n.5, p.861-866, 1999.

CÓSER, A. C.; MARTINS, C. E.; DERESZ, F. Produção de leite em pastagem de capim elefante. IN: Pastejo Rotativo, viabilidade econômica na produção de leite.Embrapa Gado de Leite.

YAMAGUCHI, L. C. T.; CÓSER, A. C.;MARTINS C. E.; DERESZ, F.; CARNEIRO, A V.(ed.), EMBRAPA Gado de Leite, Juiz de Fora, MG,79p., 2002.

DERES.Z, F. Capim elefante manejado em sistema rotativo para produção de leite e carne. IN: BIOLOGIA e manejo de capim elefante. Juiz de Fora, EMBRAPA Gado de Leite-ADT, 1994. p. 131-160.

DERESZ, F. MATOS, L. L. Influência do período de descanso da pastagem de capim elefante sobre a produção de vacas mestiças Holandês x Zebu. IN : REUNIÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 33.,1996, Fortaleza. Anais... Fortaleza: Soc. Bras. Zootec.,1996, p.166-168.

DERES.Z, F.; MOZZER, O. L.; CÓSER, A. C. Manejo de pastagem de capim elefante sob pastejo rotacionado. Informe Agropecuário, Belo Horizonte, v.19, n.192, p.55-61, 1998.

DERES.Z, F.; CÓSER, A C.; VERNEQUE, R. S. Effect of concentrate supplementation on milk yield of crossbred Holstein x Zebu cows grazing elephant grass. IN: PROCEEDINGS OF INTERNATIONAL GRASSLAND CONGRESS, Piracicaba, 2001. Proceedings…Piracicaba: International Grassland Congress, 2001. P.692-693.

MARTINS, C. E.; CÓSER, A C.; DERES.Z, F.; SALVATI, J. A.; NETTO, F. E. S. Desempenho de novilhas mestiças Holandês x Zebu, em pastagem de capim elefante submetido a diferentes níveis de adubação fosfatada. IN : REUNIÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 29.,1992, Lavras. Anais...Lavras: Soc. Bras. Zootec.,1992. p.415.

MARTINS, C. E.; SALVATI, J. A.; CÓSER, A. C.; DERESZ, F.; ALVIM, M. J.; FONSECA, D. M. Efeito de adubação nitrogenada em pastagem de capim elefante cv.Napier, sobre a produção de leite de vacas mestiças Holandês x Zebu. IN: SIMPÓSIO SOBRE CAPIM ELEFANTE, 2. 1994, Coronel Pacheco.Anais...Coronel Pacheco:EMBRAPA- CNPGL, 1994. p.215.

MATTOS, L. L. Produção de leite a pasto. IN: CAMPOS O F.; LIZIEIRI, R. S.; FIGUEIREDO, E. A. Simpósio sobre Tópicos Especiais em Zootecnia, 1997, Juiz de Fora, Anais... Juiz de Fora: Soc. Bras. Zootec. 1997, P.169-193.

MINSON, D. J. Effects of chemical and physical composition of herbage eaten upon intake. IN: HACHER, J. B. (Ed.) Nutritional limits to animal production from pasture. St. Lucia Queens Commonwealth Agriculture Bureau. P.167-82.

t’ MANNETJE, L., EBERSON, J. B. 1980. Relations between sward characteristics and animal production. Trop.Grasslands, 14:273-280.

VAN SOEST, P.J. Symposium on factors influencing the voluntary intake of herbage by ruminants: Voluntary intake relation to chemical composition and digestibility. J. Animal Sci., v.24, n.3, p.834-844, 1965.

VALADARES FILHO, S. C.; ROCHA JUNIOR, V. R.; CAPPELE, E. R. Tabelas Brasileiras de Composição de Alimentos para Bovinos. Viçosa: UFV-DZO-DPI. 2001, 297p.

VILELA, H., NOGUEIRA, A C., BARBOSA, F. A, RODRIGUEZ, N. Produção e valor nutritivo do capim elefante Paraíso. IN REUNIÃO ANUAL DA SOOIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 35, 1998, Juiz de Fora (MG). ANAIS ... Juiz de Fora. Soc. Bras. Zootec. 1998. P.557-559.

VILELA, H., BARBOSA, F.A, RODRIGUEZ, N., BENEDETTI, E. Efeito da idade da planta sobre a produção e valor nutritivo de forragem de capim elefante Paraíso. IN REUNIÁO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 38, 2001, Piracicaba (SP). ANAIS ... Piracicaba, Soc. Bras. Zootec. 2001. P.201-202.

VILELA,H., BARBOSA, F.A., RODRIGUEZ, N.,BENEDETTI, E., NOGUEIRA, A. C. Produção e composição química do capim elefante Paraíso submetido a três alturas de corte. IN REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 39, 2002, Recife(PE).ANAIS... Recife, Soc. Bras. Zootec. 2002. CD, 3p.

 
     
 
   
  Copyright 2009 © Portal Agronomia

Desenvolvido por Digital Pixel