SÉRIE GRAMÍNEAS TROPICAIS - GÊNERO BRACHIARIA (Brachiaria brizantha – cv Xaraés - CAPIM)

HERBERT VILELA
Engenheiro Agrônomo e Doutor

1 - INTRODUÇÃO

     A cultivar Xaraés é uma Brachiaria brizantha coletada em Burundi, África, e liberada pela EMBRAPA em 2003, após alguns anos de avaliações. É uma planta cespitosa, de 1,5 m de altura, folha lanceolada e longa, com poucos pêlos, e de coloração verde-escuro. Os colmos são finos e radicantes nos nós e as inflorescências são grandes, com espiguetas em uma só fileira. A cultivar Xaraés é pentaplóide com 45 cromossomos e irregularidades na divisão meiótica, que reduzem a viabilidade do pólen para cerca de 79%. Seus principais atributos positivos são a alta produtividade, especialmente, de folhas, rápida rebrota e florescimento tardio, prolongando o período de pastejo nas águas, além de valor nutritivo e alta capacidade de suporte, resultando em maior produtividade animal do que a cultivar Marandu. A Embrapa garante a origem e identidade da cultivar Xaraés mediante produções continuadas de sementes genéticas desde 1988.

2 - CARACTERÍSTICAS BÁSICAS

  • Nome científico: Brachiaria brizantha Hochst Stapf cv Xaraés.
  • Origem: África Equatorial.
  • Ciclo vegetativo: Perene.
  • Altura da planta: crescimento livre até 1,50 m.
  • Forma de crescimento: cespitosa (touceiras).
  • Forma de uso: pastejo.
  • Digestibilidade: satisfatória.
  • Palatabilidade: satisfatória.
  • Precipitação pluviométrica requerida: 800 mm/ano.
  • Teor de proteína na matéria seca: 13% no verão e 6% no inverno.
  • Tolerância a insetos: moderadamente, tolerante à cigarrinha da Pastagem.
  • Produção de matéria seca: 23 t MS/ha/ano.

Figura 1 – Plantas de Capim Brachiaria brizantha cv Xaraés

3 – RECOMENDAÇÕES AGRONÔMICAS

  • Fertilidade do solo: alta fertilidade.
  • Época de plantio: durante a estação chuvosa.
  • Forma de plantio: sementes.
  • Modo de plantio: a lanço.
  • Sementes necessárias: 8 a 14 kg/ha.
  • Tolerância ao frio: alta.
  • Tolerância à seca: alta.
  • Profundidade de plantio: 2 cm.
  • Tempo para a utilização: 90 a 120 dias após o plantio.
  • Consorciação: Soja perene, Calopogônio, Stilozanthes etc.
  • Adubação: de acordo com as recomendações técnicas determinadas pela análise de solo.
  • Dormência da semente: inexistente.

4 - LITERATURA CONSULTADA

BOGDAN, A. V. Tropical posture and fodder plants – Grasses and legumes. London and New York, 475 p., 1977.

FAO – 2004a http://www.fao.org/ag/AGP/AGPC/doc/Gbase/Latin.htm.

FAO – 2004b http://www.fao.org/ag/AGA/AGAP/FRG/afris/es/Data/31.htm.

 
     
 
   
  Copyright 2009 © Portal Agronomia
Desenvolvido por Digital Pixel