Série Leguminosas Tropicais - Gênero Calapogonio (Calopogonio muconoides)

HERBERT VILELA
Engenheiro Agrônomo e Doutor

1 – INTRODUÇÃO

O Calopogonium muconoides Desv é uma planta trepadora, vigorosa podendo alcançar 1,0 m de altura, indígena da América do Sul e de ciclo curto. Ela se estabelece facilmente, a partir de semente e, em pouco tempo, forma una densa massa de folhagem com 0,50 m de altura. Não persiste em regiões de escassa precipitação pluviométrica. É relativamente inapetecível pela quantidade de pêlos nos talos e nas folhas e, rara vez, emprega-se como forragem; mas se cultiva em mescla com gramíneas.. Não resiste a sombra. É uma planta herbácea, flores com corola azul, caules com pêlos longos, marrom-amarelados e folhas trifoliadas. Fixa 3,8 mg N/dia por planta e 87% deste N está disponível para a planta.

É adaptada a condições tropicais quente e úmida, extremamente sensível a geadas, porém muito resistente à seca, desenvolve-se bem em qualquer tipo de solo, mesmo nos muitos ácidos, com pH baixo. É utilizado para a proteção do solo, adubação verde ou como forrageira consorciada; é bem aceita pelos animais, no período da seca ou quando fenado. Os nomes comuns em alguns países são: Calopo (Austrália), rabo de iguana (Colômbia), falso oro (Brasil).

2 – CARACTERIZAÇÕES BÁSICAS

  • Nome científico: Calopogonium muconoides Desv
  • Origem: América do Sul
  • Número de cromossomos: 2n = 36
  • Ciclo vegetativo: perene
  • Toxidez: nenhum fator
  • Forma de crescimento: - rasteiro, com longos estolões em forma de cipó e trepador
  • Altura da planta: crescimento livre até 1,0 m
  • Formas de uso: pastejo (consorciado), produção de feno e adubo verde
  • Digestibilidade: satisfatória
  • Palatabilidade: baixa aceitação no crescimento vegetativo e satisfatória na época da seca
  • Precipitação pluviométrica requerida: 1.125 mm/ano
  • Iluminamento: não tolera sombra
  • Temperatura: média de 25°C
  • Produção da matéria seca: 4 a 5 t MS/ha/ano
  • Intervalos de corte: 8 semanas
  • Nitrogênio fixado: 3,8 mg/dia/planta
  • Teor de proteína na matéria seca: média anual 16,7 %
  • Tolerância a doenças: susceptível a vírus.

Plantas de Calopogonio

3 – RECOMENDAÇÕES AGRONÕMICAS

  • Fertilidade do solo: acima de média fertilidade, ph 4,5 a 5,0
  • Forma de plantio: sementes
  • Modo de plantio: a lanço com a gramínea
  • Sementes necessárias: 6 a 8 kg/ha (consorciação)
  • Produção de sementes: 200 a 300 kg/ha/ano
  • Profundidade de plantio: 2 cm
  • Tempo para a utilização: 90 a 120 dias após a germinação
  • Tolerância à seca: satisfatória
  • Tolerância ao frio: nenhuma
  • Tolerância a alagamentos: satisfatória
  • Tolerância ao fogo: baixa
  • Tolerância a solos mal drenados: baixa
  • Altitude: nível do mar até 2.000 m
  • Inoculação: não apresenta especificidade
  • Dormência: sementes requerem tratamento
  • Consorciação: Setaria e Panicum
  • Adubação: - De acordo com as recomendações técnicas determinadas pela análise de solo
  • Pureza: - Mínima 95%
  • Germinação: - Mínima 60%

4 – Composição bromatológica do Calopogônio

Forma da forragem Composição bromatológica % MS
MS PB FB MM EE FDN Ca P
Forragem verde - local A 25,0 15,0 35,2 7,1 1,5 41,2 0,56 0,27
Forragem verde - local B 25.7 15,6 31,5 6,2 2,3 44,4 1,42 0,19

5 – LITERATURA CONSULTADA

BOGDAN, A. V. Tropical pasture and fodder plants – Grasses and legumes. London and New York, 475 p., 1977.

FAO – 2004a http://www.fao.org/ag/AGP/AGPC/doc/Gbase/Latin.htm

FAO – 2004b http://www.fao.org/ag/AGA/AGAP/FRG/afris/es/Data/31.HTM

VALADARES FILHO, SEBASTIÃO DE CAMPOS. Nutrição, Avaliação de Alimentos e Tabelas de Composição de Alimentos para Bovinos. XXXVII Reunião Anual da SBZ, 37, Viçosa, 2000, Anais... Viçosa: 2000. P.

VILELA, H. Formação e adubação de Pastagens. CPT. Viçosa. 98p. 1998.

VILELA, H. Forragicultura. Departamento de Zootecnia da Escola de Veterinária da UFMG. 68p. 1977.

 
     
 
   
  Copyright 2009 © Portal Agronomia
Desenvolvido por Digital Pixel