Série Leguminosas Tropicais - Gênero Centrosema (Centrosema pubescens)

HERBERT VILELA
Engenheiro Agrônomo e Doutor

1 – INTRODUÇÃO

A Centrosema pubescens é uma planta rasteira, trepadora e perene, indígena da América do Sul, vigorosa, podendo alcançar 0,40 m de altura. Tem folhas trifoliadas e flores grandes. As flores têm corola lilás (violeta, rosada ou branca). Muito folhosa, não produz nenhum broto lenhoso, inclusive quando está com 18 meses de idade. Adaptável a condições áridas e bastante resistente à seca. Apresenta-se suficientemente apetecível, quando os animais estão acostumados a ela, e produz, também, um bom feno. Apreciada como leguminosa, associada a muitas gramíneas.

Destaca-se como planta forrageira de alta capacidade fixadora de nitrogênio do ar (100 kg/ha/ano), sendo usada em escala crescente, nas regiões tropicais, em menor escala, nas regiões subtropicais. Resiste bem ao pastejo controlado, mas não tolera lotações pesadas. É adaptada para áreas livres de geada e frio, preferindo altas precipitações e temperaturas.

Requer solos de média fertilidade, embora se estabeleça em solos de baixa fertilidade e secos; não tolera o excesso de umidade. Produz bom feno, não é tóxica. Apresenta os seguintes nomes em outros países: Centro (Austrália), jetirana (Argentina, Brasil), bejuco de chivo, campanilla (Colômbia), butterfly pea (EUA).

2 – CARACTERIZAÇÕES BÁSICAS

  • Nome científico: Centrosema pubescens Benth. Recentemente, foi sugerido pelo CIAT que o nome correto para a espécie, agronômicamente conhecida como Centrosema pubescens, fosse Centrosema molle Mart. ex Benth
  • Ciclo vegetativo: perene
  • Sementes: 39.600 unidades/kg
  • Dormência da semente: requer tratamento
  • Altura da planta: crescimento livre até 0,45 m
  • Forma de crescimento: rasteiro, com longos estolões em forma de cipó e trepador
  • Formas de uso: pastejo (consorciado) e produção de feno
  • Digestibilidade: satisfatória
  • Palatabilidade: não satisfatória
  • Número de cromossomos: 2n = 20
  • Precipitação pluviométrica requerida: 750 mm/ano
  • Temperatura ótima: 30°C
  • Geada: não tolera
  • Produção da matéria seca: 4.950 kgMS/ha/ano
  • Teor de proteína na matéria seca: 18 a 20%, média anual
  • Tolerância a insetos e doenças: tolerante
  • Tolerância a alagamento: boa, mas com pequena duração
  • Fertilidade do solo para plantio: acima de média fertilidade, desenvolve-se bem em pH de 4,9 a 5,5
  • Níveis críticos de nutrientes: fase de crescimento, cálcio 1,7% na MS, fase de pré-floração; fósforo 0,16% na MS; fase de crescimento, potássio 0,85% na MS

Plantas de Centrosema

3 – RECOMENDAÇÕES AGRONÔMICAS

  • Época de plantio: dentro da estação chuvosa
  • Forma de plantio: sementes
  • Sementes necessárias: 4 a 5 kg/ha
  • Espaçamento: 0,40 a 0,50 m entre linhas
  • Profundidade de plantio: 1 a 2 cm
  • Altitude: nível do mar até 950 m
  • Latitude: 22° N e S
  • Temperatura ótima: 25,6°C cessa o crescimento a 12,8°C
  • Tempo para a utilização: 80 a 100 dias após a germinação
  • Tolerância à seca: média
  • Tolerância ao frio: baixa
  • Consorciação: Panicum, Brachiaria e Setaria
  • Inoculação: nodula bem, sem inoculação, contudo, com inoculante QA522 foi obtido 2.096 g de MS por parcela com 16,7% de PB, entretanto,com o não inoculado, foi possível obterem-se 1.334 g de MS com 10.5% de PB
  • Adubação: de acordo com as recomendações técnicas determinadas pela análise de solo
  • Pureza: mínima 95%
  • Germinação: mínima 60%

4 – COMPOSIÇÕES BROMATOLÓGICA DA CENTROSEMA

Estádio de crescimento Composição bromatológica - % MS
MS PB FB MM EE FDN Ca P
Forragem verde, com quatro semanas (0,25 m) 20,2 24,3 30,2 9,9 3,5 32,1 1,19 0,40
Forragem verde, com seis semanas (0,30 m) 19,5 23,6 31,8 8,2 3,6 32,8 1,03 0,41
Forragem verde, com oito semanas (0,35 m) 15,4 25,3 31,8 7,8 3,2 31,9 1,04 0,32

5 – LITERATURA CONSULTADA

BOGDAN, A. V. Tropical pasture and fodder plants – Grasses and legumes. London and New York, 475 p., 1977.

FAO – 2004a http://www.fao.org/ag/AGP/AGPC/doc/Gbase/Latin.htm

FAO – 2004b http://www.fao.org/ag/AGA/AGAP/FRG/afris/es/Data/31.HTM

VALADARES FILHO, SEBASTIÃO DE CAMPOS. Nutrição, Avaliação de Alimentos e Tabelas de Composição de Alimentos para Bovinos. XXXVII Reunião Anual da SBZ, 37, Viçosa, 2000, Anais. Viçosa: 2000. P.

VILELA, H. Formação e adubação de Pastagens. CPT. Viçosa. 98p. 1998.

VILELA, H. Forragicultura. Departamento de Zootecnia da Escola de Veterinária da UFMG. 68p. 1977.

 
     
 
   
  Copyright 2009 © Portal Agronomia
Desenvolvido por Digital Pixel