PRODUÇÃO DE NOVILHO JOVEM PARA CORTE

Herbert Vilela*

I. RESUMO

O objetivo de trabalho foi verificar a viabilidade biotecnológica e financeira de se obter novilhos da raça Canchim, com treze meses de idade e com o peso vivo de 16,30 arrobas. Os sessenta animais utilizados no trabalho nasceram em outubro, (peso vivo médio 36kg) e permaneceram com as mães, em regime de pasto de capim brachiária (Brachiaria brizanta cv. Marandú) e suplementação mineral completa, até julho. Após este período os bezerros foram confinados (10m2 por animal) recebendo uma suplementação com silagem de milho e mistura concentrados, e de minerais até dezembro.

Durante a fase de amamentação e desmame os bezerros ganharam 0,92kg em peso vivo por animal e por dia. Considerando custo e um bezerro desmamado de R$ 170,00 custos da fase de adaptação (desmame) e confinamento de R$ 207,00 por cabeça; preço de venda R$ 35,00 por arroba e um rendimento de carcaça de 57,0%; houve um resultado positivo de R$ 193,00 por animal (incluindo mão-de-obra).

II. ABSTRACT

SYSTEM OF INTENSIVE PRODUTION OF YOUNG STEER: The main purpose of this work was to determine a system of young steer prodution, with economical appreciation. The steer used was Canchim catle born in october, 1996; the steer remains with until eight months of age. In time, sixty steer finished in a 165 days confinement on the Farm San Lucas, Betim/MG were slaughtered in a comercial packing plant. After 24 hour, the carcasses were evoluated. The dressing percentage of steer was of 57,2%. The life weight mean was 489kg. The steers were commercializes for U$ 320,50 per head.

III. INTRODUÇÃO

Os elementos que compõem qualquer sistema de produção são os animais, a alimentação e as instalações. Destes, os primeiros são os mais importantes, uma vez que representam a própria base de exploração. Segundo CARTWRIGHT et al. (1964) os critérios para seleção de bovinos de corte, podem ser divididos em duas fases: Reprodução e Produção de peso. Esta segunda fase, deve apresentar as seguintes características: rapidez e eficiência de crescimento, quantidade elevada de carne, carcaça de qualidade superior e com alto rendimento. Por outro lado, este trabalho está inserido na linha de pesquisa sugerida por PEROTTO (1986) no que se refere às taxas de progresso de genética para características de interêsse econômico entre raças sintéticas e raças puras usadas na formação. Portanto o objetivo básico de trabalho foi verificar a habilidade de novilhos da raça Canchim de produzirem peso vivo comercial com 13 meses de idade.

IV. MATERIAL E MÉTODOS

Sessenta animais da raça Canchim oriundos de rebanho selecionado na Fazenda San Lucas, (Betim/MG), foram utilizados no trabalho. A data média de nascimento destes animais foi em 31/10 e com peso vivo médio de 36kg. Estes animais foram mantidos com as mães, em regime de pasto (Brachiaria brizanta cv. Marandu) e com disponibilidade de mistura mineral completa desde o nascimento até o início do mês de julho. Durante o mês de julho, passaram por um período de adaptação deixando de receber o leite materno e tinham a sua disposição, milho integral moído (2kg/cabeça), um piquete com capim estrela (Cynodon fluensis) e mistura mineral. Durante a fase de confinamento (100 dias) os animais dispunham de uma área de 10m2 por cabeça. Nesta fase os animais tinham a sua disposição e a vontade, silagem de milho (BR-201) e ainda mistura de concentrados com fornecimento controlado (milho integral moído, farelo de soja, farinha de carne, melaço em pó e mistura mineral). As instalações eram simples e dispunham de cocho descoberto com livre acesso dos dois lados e com 0,70m disponível por animal. A área foi cercada com cercas convencionais de arame liso. Os alimentos volumosos e concentrados foram fornecidos duas vezes ao dia, pela manhã e á tarde.

V. RESULTADOS E DISCUSSÃO

A disponibilidade aparente da forragem da pastagem de capim Brachiaria brizanta cv. Marandú, variou entre épocas do ano. A disponibilidade durante o verão foi de 4.650kg/ha e de 2.980kg/ha de matéria seca de forragem, durante o período de inverno. A cobertura vegetal em forragem variou de 89 para 72% respectivamente no verão e inverno. Os demais componentes de cobertura foram principalmente representados por plantas invasoras. A composição bromatológica variou segundo o modelo de variação de gramíneas tropicais. Durante o período de amamentação os bezerros (novembro a julho) apresentaram um ganho diário  (0,92kg/cabeça) o que demonstra a habilidade materna na matriz Canchim, uma vez que as mesmas se encontravam apenas em regime de pasto suplementado com mistura mineral. Os animais entraram na fase de confinamento com 263 dias de idade e com peso vivo médio de 277,9kg. Durante o confinamento, o consumo médio de silagem de milho foi de 13,3kg por animal/dia. Iniciou-se  com 3,5kg e finalizou-se com 4,5kg/animal/dia, o fornecimento concentrado. O ajuste do fornecimento foi feito com base na média em peso vivo dos animais. Os resultados das análises bromatológicas da silagem de milho e da mistura de concentrados são apresentados no Quadro 1 .

Quadro 1 - Análises bromatológicas da silagem de milho  e da mistura de concentrados:

PARÂMETROS COMPOSIÇÃO (%)
Matéria seca - Silagem 32,74
Matéria seca - Concentrado 94,7
Proteína bruta - Silagem 6,31
Proteína bruta - Concentrado 25,37
Nutrientes digestíveis totais - Silagem 60,2
Nutrientes digestíveis totais - Concentrado 76,1
Cálcio - Silagem 0,2
Cálcio - Concentrado 0,76
Fósforo - Silagem 0,11
Fósforo - Concentrado 0,34

O consumo de matéria seca expresso em porcentagem do peso vivo foi de 2,20 a 2,30% durante o período de confinamento. Esta porcentagem foi representada por um consumo de 65% de concentrados e 35% de volumosos. A quantidade de matéria seca consumida expressa em porcentagem de peso vivo está semelhante e citada pelo NRC (1994). Por outro lado as quantidades consumidas e avaliadas pelos nutrientes digestíveis totais (NDT) e pela proteína bruta foram de 12 e 40% respectivamente maiores do que aquelas apresentadas pela tabela do NRC (1984) para estes desempenhos dos animais. Os animais ganharam 1,54kg por cabeça/dia nesta fase. Considerando o custo de um bezerro desmamado com 277,9kg, de R$ 170,00; o custo do ganho de 154,0kg (confinamento), de R$ 207,00 (inclui alimentação e mão de obra) e o rendimento da carcaça de 57,2%, houve uma receita por animal de R$ 570,50 (arroba = R$ 35,00) e um resultado positivo por animal de R$ 193,00.

VI. CONCLUSÃO

Pelos resultados obtidos em 2.000, neste trabalho, pode-se observar a habilidade da raça Canchim, ao se obter um animal com 16,3 arrobas com 13 meses de idade ao custo de produção por arroba de R$ 23,12. Observa-se ainda que os resultados financeiros obtidos por animal foram viáveis. Por outro lado, observou-se resultados diferentes no consumo de NDT e proteína bruta em relação ao NRC (1994) para aqueles ganhos diários obtidos. Houve contudo, semelhança no consumo de matéria seca expressa em porcentagem do peso vivo.

VII. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CARWRIGHT, T.C. Selection criteria for beef catle for the future J.Amin Scl.30 (5): 706-711. 1970

EMBRAPA. Programa Nacional de pesquisa de Gado de Corte, In: Programa Nacional de Pesquisa - Gado de Corte. Brasília. DTC, 8 p. 1981.

Nutrient Requeriments of Beef Catle. National Research Academy of Sciences. Washington, DC. 90 p. 1984.

PEROTTO, D. Cruzamentos na Bovinocultura de Corte. In: anais de 3º Simpósio sobre produção animal. Campo Grande SBZ, p. 01, 1986.

*Eng. Agron., M.Sc. e D.Sc Consultor do CnPq e Pesquisador da Matsuda Genética Belo Horizonte -Tels: (31) 3224-0535 - 9131-9760.

 
     
 
   
  Copyright 2009 © Portal Agronomia
Desenvolvido por Digital Pixel