Irrigação do Capim Elefante Híbrido Paraíso

HERBERT VILELA
Engenheiro Agrônomo e Doutor

I - Introdução

No Brasil, área irrigada se mostra como sendo cerca de um porcento do total irrigado no globo terrestre e seu potencial poderá ser 30 vezes maior. Contudo, em algumas regiões brasileiras, os recursos hídricos estão sendo utilizados quase que na totalidade, seja pela escassez ou pelo alto grau de tecnologia adotado. Para a produção animal a utilização da irrigação é precariamente utilizada para as pastagens ou para produção de silagem. A irrigação quando usada adequadamente, contribui significativamente para a elevação do rendimento da cultura. A lâmina de água aplicada e o momento de aplicar constituem uma decisão a ser tomada com base no conhecimento das relações água-solo-planta-atmosfera (BERNARDO, 1989). A produção de carne ou leite, baseada no fornecimento de forrageiras pressupõe o consumo pelos animais de certas quantidades de nutrientes que sejam capazes de atender as necessidades nutricionais dos animais. Trabalho de irrigação com capim elefante Híbrido de RUVIARO et al.,2008 mostra que a produção de matéria seca da forragem aumentou (P<0,05) de 1,5 t para 4,9 t/ha por corte a intervalos de 35 dias, quando se usou irrigação.  A irrigação consistiu em lâminas críticas, sempre que a evapotranspiração acumulada atingia valores de 30 mm. VILELA et  al.,2001 com capim elefante Híbrido Paraíso, obteve produção por corte de matéria seca de 3,0 t/ha a intervalos de 35 dias ,sem irrigação.

II – Material e Métodos

   O experimento foi conduzido no ano agrícola de 2006/07, em área experimental da Fazenda Cruzeiro, município de Cristais (MG), cujas coordenadas geográficas são: Latitude 20º 53 30"S, Longitude 45º 16 15"W e Altitude de 945 m.O clima da região, de acordo com a classificação climática de Köpen é o Tropical de altitude CWA (MORENO, 1961) e a precipitação pluviométrica é de 1.200 mm. O solo do local é classificado como Latossolo Vermelho Amarelo com textura argilo-arenosa, relevo ondulado (EMBRAPA,1999). A área experimental foi de 500m2 , onde haviam 12 parcelas com 3 x 4 m. Havia uma bordadura de 600 m2 em torno do experimento A semedura do capim elefante cv Paraíso foi feita em linhas, com espaçamento de 0,5 m entre linhas, utilisando 15kg/ha de sementes misturadas com 400kg/ha de fosfato de Arad. Posteriormente, 80 dias após plantio, aplicou-se 100kg/ha de KCl e 80kg/ha de sulfato de amônia,.Depois anualmente, aplicou-se 400kg/ha de 08:28:16 em cobertura no final da primavera. O delineamento usado foi o de blocos casualizados, com tres repetições. A análise estatística usada foi a do programa Statistical Analysis Systems -SAS foi  a de variância , em nível de significância de 5%.Análisou-se ad produções de matéria seca obtidas nos cortes de 30 em 30 dias, a uma de 40cm do solo. A correção da acidez do solo foi feita com 1.000 kg de calcário dolomítico, aplicado em cobertura e incorporado ao solo. Os tratamentos foram constituídos de irrigado e não irrigado. O irrigado foi formado por uma lâmina crítica de água de 30 mm. Esta  quantidade água foi baseada na evaporação máxima (Etm) da cultura. Para o manejo da irrigação, a estimativa de evapotranspiração de referência (Eto = Eo x Kp) foi obtida com base na evaporação do Tanque Classe “A” (Eo).  Evapotranpiração máxima da cultura (Etm + Eto x Kc) foi determinada utilizando os valores de coeficientes da cultura (Kc) propostos por DOORENBOS & KASSAN (1999). Para a irrigação foi utilizado o sistema de aspersão fixo, com dois aspersores instalados em cada parcela do experimento. O conteúdo de água no solo foi monitorado nas amostras de solo obtidos  em um perfil de 0 a  30 cm, por meio de analisador portátil de água Decagon EC-1 e através do método gravimétrico (amostras de solo colhidas  em profundidades de 0 a 20 e 20 a 40 cm), antes das irrigações.

III - Resultados e Discussão

No Quadro I tem-se no trtamento com irrigação o manejo da água na cultura.

Data(1)

Nº dias

Irrigação maior ou igual a 30 mm (2)

Umidade do solo (%)

Diferença (mm)

Freqüência (dias)

Lâmina de água (mm)

Início

Após

01/06

Zero

-

-

-

6,5

20,2

21/06

21

31,5

21

20,1

5,8

19,8

30/06

30

36,2

9

21,8

6,5

18,2

06/07

36

36,3

6

20,1

6

18,2

14/07

44

30,0

8

18,2

5,8

18,5

20/07

50

31,2

6

15,8

6,2

19,2

28/07

58

33,5

8

17,5

6,1

18,6

06/08

67

32,2

9

18,2

6,2

17,8

12/08

73

35,1

6

17,2

6,5

17

16/08

77

34,2

4

18,1

6,1

16,8

25/08

86

39,2

9

18,3

6,5

16,8

30/08

91

32,3

5

18,2

6,2

16,9

02/09

94

33,8

3

14,2

5,8

16,9

06/09

98

30,1

4

15,2

6,5

16,5

12/09

104

30,2

6

16,2

7

17,2

20/09

112

31,2

8

15,6

6,8

16,9

29/09

121

31,2

9

16,8

5,5

17,4

05/10

127

32,1

6

16,9

6,5

17,5

09/10

131

33,2

4

19,2

5,2

17,8

16/10

138

31,2

7

18,6

6,5

16,4

25/10

147

32,6

9

17,6

6,2

16,2

04/11

157

32,1

10

15,2

6,2

15,4

01/12

183

32,5

26

12,2

7,2

15

25/01

239

31,2

56

12,3

6,5

16,5

10/02

255

32,2

16

12,6

5,8

16,5

28/02

273

31,2

18

13,5

6,2

15,6

10/03

283

32,6

10

12,5

6,1

15,6

22/03

295

32,2

12

13,5

6,2

16,1

02/04

306

31,5

11

12,5

6

16,5

17/04

321

32,2

15

15,5

6,5

15,8

26/04

330

30,5

9

14,8

5,6

15,8

02/05

336

32,2

6

15,5

6,8

14,9

15/05

349

30,2

13

16,8

5,9

15,6

25/05

359

33,2

10

18,3

6

15,8

Medias

-

31,6

11

16,9

6,2

16,4

Totais

365

-

-

539

-

-

(1) Datas dos tratamentos

(2) Referência de irrigação: Quando a diferença entre evaporação tanque classe A e precipitações pluviométricas for maior ou igual a 30mm


A influência das condições climáticas sobre o desenvolvimento e produção do capim elefante Paraíso foi constatada através dos níveis de produção de matéria seca obtida (Quadro II) nos intervalos de corte usados (Quando a planta alcançava altura de 2,0 m) no outono, primavera e verão. Verificou-se maiores produções (P>0,05), (57,7 t/ha) nas parcelas irrigadas e menores nas não irrigadas (P>0,05), (38,0 t/ha) A irrigação sempre foi feita quando a evapotranspiração acumulada (ETm) alcançava valores de 30 mm.Constatou-se que o método é eficiente para determinar a quantidade de água suplementar para uma cultura de capim elefante. As precipitações pluviométricas somaram 1.650,8mm e mal distribuídas durante o período. A água suplementar aplicada foi de 539 mm.

Quadro 2 - Produtividade de forragem sob duas condições de umidade do solo*

Nº do corte

Idade das rebrotas (dias)

Épocas do ano

Rendimento Forrageiro por corte (t MS/ha)

Sem irrigação

Com irrigação

109

17/9 - Inverno

-

8,6C

1° e  2°

76

02/12 - Primavera

10,5Bb

12,8Ba

2º e 3

69

07/2 - Verão

14,0Aa

14,8Aa

4

70

12/4 - Verão

13,5Ab

14,5Aa

5

41

30/5 - Outono

-

7D

Totais

-

-

38b

57,7a

* (A > B > C > D, P < 0,05), na mesma coluna.

(a > b, P < 0,05), na mesma linha.


Trabalho conduzido por RUVIARO et al (2008) determinou que a demanda de água pelo capim elefante Paraíso na Universidade Regional Integrada, no Rio Grande do Sul, foi de 428 mm para uma produção de 4,90 t/ha de matéria seca por corte, a intervalos de 35 dias, contra uma produção de 1,60 t/ha sem irrigação.

V – LITERATURA CONSULTADA

BERNARDO, S. Manual de Irrigação. 5. ed.Viçosa:MG,UFV, Imprensa Universitária,. 1989, 596p

DOORENBOS, J. & KASSAN, A. H. Efectos del água em el rendimentos dos cultivos. Roma, FAO.1979, 212P (Riego y Drenage), 1999.
EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos.Rio de Janeiro,1999,412p.

MORENO, S.Clima do Rio Grande do Sul, Porto Alegre:Secretaria de Agricultura, Diretoria de Terras e Colonisação, Seção de Geografia, 1961,465p.

VILELA, H., BARBOSA, F.A., RODRIGUEZ, N. e BENEDETTI, E. Efeito da idade planta sobre a produção e valor nutritivo do Capim Elefante Paraíso (Pennisetum hybridum). Anais: XXXVIII Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia. Julho de 2001. Piracicaba/SP. 320 a 321, p. 2001. ISBN: 63600981.

 

 
     
 
   
  Copyright 2009 © Portal Agronomia
Desenvolvido por Digital Pixel